Após cumprir Mandado de Busca, Polícia Civil prende cinco pessoas


 Em uma ação conjunta entre a Delegacia de Polícia de Dom Pedrito e da Decrab - Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato de Bagé, cinco pessoas foram presas agora a pouco por tráfico de drogas e associação ao tráfico - duas mulheres e três homens, sendo um deles menor de idade. Sob o comando do delegado André de Matos Mendes, de posse de um Mandado de Busca e Apreensão destinado a uma residência localizada no Bairro São Gregório, os policiais realizaram buscas no interior da casa, e encontraram drogas (maconha) e dinheiro, quantidades ainda não contabilizadas. 

 Após esta primeira ação, outra se desenrolou na sequencia, com buscas em uma residência na Rua General Carneiro, próximo à Sanga das Piugas. Ao chegar com as viaturas nesse segundo local, os policiais viram um indivíduo correr para dentro da casa, ato que foi acompanhado pela equipe da Polícia Civil que conseguiu ver onde ele havia escondido a droga (aproximadamente 20 porções de maconha) pronta para venda. O delegado André disse que as características indicavam que esta droga era guardada na casa onde havia um Mandado de Busca (no Bairro São Gregório) e depois era distribuída para outros pontos onde o tráfico era realizado com mais intensidade.

 Acompanhe a matéria completa na edição do próximo sábado


Mulher desaparecida


 A Polícia Civil de Dom Pedrito está buscando informações que possam levar ao paradeiro de Vera Lucia Severo Lemos, de 30 anos de idade, que está desaparecida desde meados de maio. Segundo o inspetor Lauro Telles, a última vez que Vera Lucia foi vista, ela estava na Santa Casa de Bagé, em uma das visitas que fez ao filho, ainda bebê, e que estava internado naquela instituição, em decorrência de ter nascido prematuro. Depois disso ela nunca mais foi vista.

 A família é de Dom Pedrito e alguns dias atrás procurou a Delegacia de Polícia para informar o seu desaparecimento. Até o momento não se tem nenhuma informação sobre sua localização, tampouco se ela foi vítima de algum crime. A criança, de poucos meses de vida encontra-se com o pai. Qualquer informação que possa levar ao esclarecimento do que aconteceu com Vera Lúcia pode ser levada até a Delegacia de Polícia ou a este órgão de imprensa.

Uma parceria que durou pouco


 O Centro de Equoterapia ficava às margens da BR 293, pertinho da Cotrijui  e foi uma bela iniciativa em que, a praticamente extinta Cotrijui e a Apae de Dom Pedrito, proporcionava tratamento diferenciado para os usuários da instituição. A Equoterapia é um método terapêutico e educacional, que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais.  Pena que durou pouco tempo.

40 pessoas recebem capacitação na área da construção civil


 Nesta terça-feira, (10), no salão nobre da prefeitura, aconteceu a entrega de certificados dos cursos de qualificação profissional na área de construção civil. No total foram 40 pessoas certificadas nos cursos de: Básico de pintor de obras; Assentador de placas cerâmicas e Construção em alvenaria. Esses cursos aconteceram numa parceria da prefeitura através da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) com o sistema Fiergs/Senai, que em uma unidade móvel, qualificou beneficiários do programa Bolsa Família e/ou inscritos no Cadastro Único com cursos de 80 horas.

 Na oportunidade, o gerente de Operações Sesi e Senai, Fábio Trojahn, agradeceu o empenho da administração municipal em investir na qualificação das pessoas, que poderão, a partir de agora, gerar a sua própria renda. "O mercado está carente de pessoas qualificadas nessa área. Conhecimento adquirido não tem preço", enfatizou. O prefeito em exercício, Alberto Rodrigues, parabenizou a todos que tiveram a iniciativa de fazer o curso e a persistência de o concluir. "Estamos muito felizes por ter aderido a essa parceria e desejamos a todos muito sucesso profissional", declarou. Os que não puderam comparecer na cerimônia de entrega, podem retirar seus certificados na sede da STDS. 

Social


Parabéns
     Quem também esteve de aniversário recentemente, foi a querida Yara Meirelles, mais precisamente,  no dia 14 de julho. Professora aposentada, Yara, fazendo juz às letras que a acompanharam durante toda a vida, é membro da Sesmaria Cultural de Dom Pedrito e teve grande atuação na fundação do CAV. Felicidades, Yara.

um aninho
            Completou seu primeiro ano de vida, no dia 17 de julho, o garotinho aí da foto, Davi Garcia Amaral, filho do casal de amigos Marina e  Fabiano Amaral. A data, certamente se revestiu de muita alegria para os pais e familiares que, juntos, comemoraram esta data tão significativa. Saúde e felicidade para o Davi e seus pais!

aniversário
            Dia 11 de julho, comemorou mais um ano de vida, a bela jovem Maria Eduarda. Acadêmica do curso de medicina na Universidade Católica de Pelotas - UCPel, Maria Eduarda é só orgulho para a mãe Rosane e, feliz, aparece  na foto ao lado da filha. Receba do Folha da Cidade os votos de muitas realizações e sucesso na futura carreira.

primeiro aninho
     Os manos Lucas e Mariana, juntamente com os pais Geise e Marcello Viega e demais familiares, participam com muita alegria o 1º aniversário do carismático Miguel, ocorrido no dia 12/07/2018.

Posse
            Recentemente, Rosane Salvadori Peterle entregou a direção da Casa da Amizade para a colega Nair Coletto Soncini que, a partir de agora deverá dar seguimento ao importante trabalho social que a entidade realiza em nosso município. O Folha faz votos de muito sucesso para Nair, que ora inicia sua gestão. Certamente, não faltará apoio das participantes e da comunidade que sempre acolhe com carinho todas as promoções e atividades desenvolvidas por esta importante entidade

cumprimentos       
            ...Para o competente engenheiro agrônomo Renor Soncini que no dia 18 de julho celebrará mais um aniversário. Muito atuante e respeitado em seu ramo de atividade, Renor, com certeza, recebeu inúmeras manifestações de carinho e afeto, aos quais se soma este semanário. Na foto com a esposa Denise

Frente a frente com Luciano Bálsamo Cardona


 Poderíamos iniciar nossa história de hoje nos referindo a ele como doutor Cardona. Sim, porque nosso entrevistado de hoje é formado em Direito, mas essa é apenas uma das muitas curiosidades sobre o homem do qual todos se acostumaram a escutar a voz através do rádio, com seu programa humorístico, mas sobre isso falaremos mais adiante. Nossa conversa foi na semana que passou, terça-feira (10), em uma manhã fria. Luciano visitou nossa redação e, literalmente frente a frente, conversamos largamente sobre suas origens e alguns pontos de sua trajetória como pessoa e como profissional.

 Luciano Bálsamo Cardona é pedritense, filho de José Cardona e Jurema Bálsamo Cardona. Fez os primeiros estudos na Escola Arthur Villamil de Castro, passando depois para a Escola Nossa Senhora do Patrocínio, no que teve que interrompê-los por um tempo, em virtude do serviço militar, concluindo-os no Instituto Bernardino Ângelo. Servidor da Corsan desde 2004, iniciou suas atividades na Companhia na cidade de Barão do Triunfo, onde também atuou no radialismo, mas por pouco tempo, até conseguir transferência para Dom Pedrito, depois de 6 anos fora. Casado com Lisandra e pai do Luan, Luciano se fez conhecido, além das atividades normais como qualquer pessoa, pelo talento como humorista, vocação que traz desde a adolescência, quando começou a fazer imitações que logo chamaram a atenção de amigos e colegas.

 Mas a trajetória no rádio começou mesmo, quando, no final de 1992, moço recém saído do Exército, Cardona gravou uma fita cassete com alguns trabalhos seus e levou-os até a rádio FM 97.1,  na época de propriedade de Rubilar Melo e, entre suas primeiras imitações estavam os jornalistas Paulo Francis, Paulo Henrique Amorim, figuras com trejeitos e modos de falar que chamavam a atenção, e que Cardona se especializou em imitar.

 Foi quando ele começou a fazer algumas participações em alguns programas. Algum tempo mais tarde, Batista Dias, renomado radialista e comunicador, o convidou para participar de seu programa naquela rádio - o Stereo Club, momento em que se modelou o programa que ele tem até os dias de hoje. A "Hora da Bobagem" passou depois a se chamar "A Voz da Bobagem", programa humorístico essencialmente pedritense, com imitações de personalidades locais, além de criações próprias de alguns tipos característicos de nossa região, que foram surgindo ao longo do tempo.

 A inspiração vem da observação do dia a dia, pessoas que fazem parte do cenário político e cultural da cidade, outras que eventualmente encontra, pegando um pouco de cada pessoa, chegando a materializar um personagem.
Seu trabalho na Rádio Sulina começou depois que retornou de Barão do Triunfo, e a convite do Pacase, Pascoal Antônio Brandi, proprietário da rádio, iniciou sua trajetória que animou os finais de semana dos pedritenses.

Continue lendo na edição impressa de 14 de julho.

Dr. José Tude de Godoy


 A informações a seguir são extratos  da obra intitulada "Dr. José Tude de Godoy - Vida e Obra", de Marília Alencastro Maia, redigida por ocasião do seu centenário. Colaboração indispensável de  Adilson Nunes de Oliveira, museólogo e diretor do Museu Paulo Firpo.

 José Tude de Godoy nasceu em 13 de setembro de 1890, pouco depois da proclamação da Repúbica e dois anos após a Abolição da Escravatura, referenciais que eram pontos de honra nas suas posições oxigenadas e democráticas, sempre em defesa da liberdade. Nasceu em Bagé, mas se considerava pedritense, pois se dizia gerado em Torquato Severo. Era filho do ilustre engenheiro Cândido José de Godoy, natural de Rio Grande, e de Delphina Ferrando de Godoy, nascida em Bagé. Cândido graduou-se em Paris e pelo brilhantismo foi convidado a trabalhar na França, mas decidiu retornar ao Brasil. participou da construção da Barra dos Molhes na cidade natal e depois transferiu-se para o distrito de São Sebastião. Da União de Cândido e Delphina nasceram sete filhos. José Tude de Godoy foi criado pelo avós, em Rio Grande, com quem morou até os 12 anos de idade. Depois disso foi para a capital do Estado, onde deu continuidade a seus estudos e veio a se formar médico em 28 de dezembro de 1913, com primeira distinção, defendendo tese de doutoramento no mesmo mês  e ano.

 Chegando em Dom Pedrito, no início de 1914, Dr. Godoy começou a clinicar, com muito sucesso, atendendo pessoas de todas idades e níveis sociais. A futura esposa, Aida Almeida, conheceu em virtude desta precisar de cuidados médicos no que, após algumas consultas com dr. Godoy, iniciou-se o namoro que culminou com o casamento em 4 de novembro de 1914. Dessa união nasceram quatro filhos: Delphina de Godoy Dias, Adda Maria de Godoy Pereira, Alberto Almeida de Godoy e Álvaro José de Godoy.

 Dr. Godoy morou inicialmente na Rua Andrade Neves, moradia singela sem rede de água, esgoto, nem eletricidade. Dali se mudou para a Av. Barão do Rio Branco até construir a residência definitiva na esquina da Rua Júlio de Castilhos, esquina com a Rua José Bonifácio, no estilo bangalô.

 Como profissional, são centenas de histórias de desprendimento do médico de todos os pedritenses, o qual atendia a todos, indiferente ao fato de serem amigos ou inimigos, principalmente na política, que vivia tempo conturbados. Uma narração da filha Delphina: "Papai foi chamado a atender um paciente na campanha. Isso era muito comum. Muitas vezes percorria léguas a cavalo, ao encontro de algum doente.

 Desta vez, tratava-se, se não me engano de um caso de Crupe (Infecção das vias aéreas superiores que bloqueia a respiração e causa uma tosse forte). Um vizinho, sabendo da presença dele, mandou chamá-lo para um outro enfermo. Meu pai, após atravessar, a nado, com seu cavalo, solicitou outras roupas, não porque estivessem molhadas, mas, como prevenção a qualquer tipo de contágio".

 Dr. Godoy se intitulava o "modesto médico de campanha", que veio trabalhar no interior por opção, tendo rejeitado diversos convites de renomados profissionais da medicina, para trabalhar na capital, elegendo para fazer a sua trajetória, a Capital da Paz.

 Integrante do Partido Libertador, dr. Godoy revestia-se de todas as características ideológicas e morais de um fiel seguidor de Silveira Martins e Assis Brasil. O Partido Libertador era uma espécie de seita, um corpo místico, uma associação de auxílios mútuos, um tipo especial de fraternidade e de unidade absoluta de sentimentos e ideias. Em 1935, por sufrágio direto, o dr. Godoy foi eleito vereador. Era desde aquele tempo, o homem das lições das coisas, aplicando-as aos programas partidários e plataformas políticas, em lugar do verbalismo brilhante, falaz e inócuo. Era direto, objetivo e prático, mas, sobretudo, sábio.

 Veio a caminhada para a prefeitura em 1947. Comícios empolgantes, apoiados por renomados e ilustres nomes da sociedade política da época, encantou os próprios adversários. Vitorioso, no dia de sua posse, retirou da lapela do seu paletó, o distintivo do PL, pois dalí em diante passava a ser o prefeito de todos os pedritenses. No Jornal Ponche Verde de 5 de junho de 1947: "De um lado, o dr. Godoy, que representa a cultura, o discernimento, o dinamismo, o homem previdente, que está sempre adiantado no tempo, vivendo o futuro, é o político, o idealista, sonhando com melhores dias. Do outro lado, o major Pudico Dutra, gaúcho intimorato, pedritense de raízes e de coração, dotado de inteligência natural. Progressista, enérgico, confiante em si". No mesmo jornal, datado de 20 de novembro de 1947 encontra-se o resultado final do pleito. Dr. Godoy foi vitorioso em todas as mesas e, no cômputo geral, obteve mais votos que os outros dois candidatos somados. Elegia-se, com ele, Érico Berrutti Corsini, figura humana exemplar, cujo passado de dignidade e alcandoradas virtudes, que ornam sua alma cristã são permanentes motivos de confiança e admiração..." Então, às 10 horas de uma manhã radiosa de primavera, tomava posse dr. José Tude de Godoy.

Eguilhor assume patronagem do CTG Herança Paternal


 Durante assembleia geral ordinária realizada no dia 6 de julho passado, no CTG Herança Paternal, com expressivo número de associados, o tradicionalista Ivo Martins Eguilhor foi reconduzido ao cargo de patrão da entidade para a gestão 2018-2020, que já havia exercido por dois períodos: 2010-2012 e 2012-3014. Ele recebe o cargo do patrão Jonatan Mirazo Bica.

 O evento foi prestigiado pelas seguintes pessoas e autoridades: prefeito Mário Augusto de Freire Gonçalves; ex-prefeito Lídio Dalla Nora Bastos, vereadora Rosemeri Martins dos Santos (Progressistas); coordenador municipal de Tradicionalismo, Waldemar Mancilhas; vice-coordenador da CMT e patrão do CTG Crioulos do Ponche Verde, Luiz Carlos Dutra de Lima; patrão do CTG Rodeio da Fronteira, Jairo Madruga e a 2ª prenda da 18ª Região Tradicionalista, Luanny Ferreira Martins.

 Em sua fala, Eguilhor defendeu que o CTG deve ser administrado como empresa, que tem pequena receita mas um número considerável de despesas. E que essa administração é feita "(...) por um grupo de voluntários que se compromete em manter a entidade em pé. Não é fácil, a gente deixa de investir em muita coisa que o CTG precisa para manter em dia os compromissos com o MTG (Movimento Tradicionalista Gaúcho), Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição - que cobra pelos direitos autorais das músicas reproduzidas dentro do CTG) e outros", destacou. O patrão acrescentou que, neste contexto, "(...) para nossa surpresa, chegou notificação da Secretaria Municipal de Planejamento, nos cobrando um isolamento acústico. Talvez por isso tenha sido dado em branco a apresentação de chapas no Herança Paternal. Como é que se vai fazer isolamento acústico nestas instalações?" - perguntou, apontando para teto e paredes da sede. Eguilhor arrematou essa abordagem, destacando o procedimento que ele próprio adotou: "Temos que procurar os caminhos para resolver isso (...) procuramos o prefeito e a secretária de Planejamento, levando nossas posições.

 E ele (Mário Augusto), prontamente, nos entendeu e nos disse que remeteria um documento oficial para nos tranquilizar. Estamos esperando pelo mesmo", sentenciou no início da semana.

A nova Patronagem

 Patrão: Ivo Martins Eguilhor; patrão de Honra, Moisés Aires Teixeira; 1º capataz, Dari Odilo Richardt; 2º capataz, Erton Bastos de Bastos; 1º sota-capataz, Santo Jesus Machado Jardim; 2º sota-capataz, Márcio Cardona Pohl; 1º agregado da Guaiaca, Novércio Rodrigues Machado; 2º agregado da Guaiaca, Garibaldi Ferreira Gonçalves.

Conselho de Vaqueanos

 Ivo Dias Ferreira, Vicente Fontana, Jonatan Mirazo Bica, Joel Martins Rodrigues, Diógenes Vianna Mello, Ademar Vianna Mello, Almirante Rodrigues Machado, Adão Flávio Zambrano da Fontoura, Adriano de Souza Penteado e Álvaro Teixeira de Lima.