Posto de bombas recebe investimentos


 Trata-se da instalação junto ao conhecido posto de bombas, ou mais judiciosamente, primeiro recalque, que é como todos sabem, o principal recurso hídrico do município para abastecimento da população. No verão de 2017, o Folha da Cidade publicou algumas matérias onde falava sobre a precariedade em que se encontrava aquela estrutura. Alvo de vândalos, historicamente o local sofria com as investidas de criminosos que, quando não depredavam apenas, acabavam furtando os cabos de energia elétrica da bomba, ocasionando a interrupção na captação de água do rio. Como medida emergencial, a Corsan instalou uma bomba flutuante, até que o equipamento original pudesse novamente ser recolocado. De lá para cá, outras melhorias foram feitas, muito disso devido ao clamor popular que exigia da companhia ações mais concretas. A Corsan, então, providenciou a colocação de uma equipe de vigilância no local e iniciou a construção de uma guarita, concluída em maio deste ano.

 Recentemente, atendendo a um pedido do gerente da Corsan, Giosepe Maino Bica - Pepe, o Folha, junto com profissionais de outros órgãos  da imprensa local, esteve em visita ao posto de bombas, onde a companhia iniciou algumas obras que poderão garantir uma maior perenidade no abastecimento, sem correr o risco de queda na pressão, como ocorreu no verão passado, que acontecia em virtude de a bomba flutuante, instalada provisoriamente, não ter a vazão suficiente para atender o alto consumo registrado nos meses mais quentes, mesmo utilizando a água da Barragem da Serrinha.  Bom, o que o Pepe nos mostrou foi o seguinte: além de uma bomba submersa, esta sim, com a vazão suficiente, outras duas serão instaladas em poços que possuem ligações entre si, significando com isto, dizer que, se por acaso, uma bomba tiver algum problema, outra poderá ser automaticamente acionada e, se por ventura acontecer alguma coisa com esta segunda bomba, uma terceira estará à disposição, quer dizer, a probabilidade de haver um desabastecimento ou queda na pressão como a que houve no verão de 2017, é praticamente nula. 

 A medida também favorece a manutenção dos equipamentos, bem como a captação de água em épocas de cheia do rio. Desta forma, serão quatro linhas de captação instaladas junto ao Rio Santa Maria - três das bombas submersas e mais uma para a bomba flutuante que, na situação hipotética de todos os motores falharem, a bomba flutuante poderá em pouco tempo ser instalada. A previsão é de que em duas semanas as obras estejam concluídas. A notícia é extremamente importante e animadora para a comunidade pedritense que vinha, há anos, sofrendo com a falta de investimentos nesta área. Ponto para o Pepe.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Em "Comentar como:"
Você pode comentar como "Anônimo"